O BAÚ DO TESOURO

§ 1.    Não podemos incentivar o mal, propagando que os atos moralmente errados não tenham uma justa e garantida consequência aplicada objetivamente pelo Poder Maior. Afirmar que, após a morte do corpo físico, todos compartilham a mesma experiência ou têm o mesmo tratamento, como fazem os ateus e os materialistas, é um comportamento gravemente antissocial e precisa ser evitado, porque equipara pessoas boas a más, altruístas a egoístas, misericordiosas a cruéis, os honestos aos corruptos... Logo, doutrinas abomináveis como essas precisam ser abolidas porque fortalecem os maus, energizando seu senso de impunidade ao afirmar que suas más ações não serão punidas por um tipo superior de justiça ou equilíbrio. O esterco é mais útil do que as ideologias perversas, pois com ele a terra é adubada.


§ 2.    A maioria das pessoas não busca os fatos ou a lógica, mas informações que sejam compatíveis com a sua opinião. Não acreditam no que é racional, mas no que é agradável.


§ 3.    Quase todas as pessoas que comem carne não têm coragem de assassinar para comer. Isso significa que elas, em algum nível de consciência moral, saibam que seja errado matar um animal para se alimentar do seu cadáver. Assim, o próprio comportamento dos comedores de carne revela e realça o valor da conduta vegetariana.